pay to do my paper
  • Fale conosco (15) 3542-6086

COMO EVITAR O RISCO DE FALÊNCIA

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

ADMINISTRAÇÃO é o ato de administrar ou gerenciar negócios, pessoas ou recursos, com o objetivo de alcançar metas definidas. O administrador deve ser uma pessoa organizada, que goste de estar sempre à frente, expor sua opinião, ter uma visão ampla.

Sua função é orientar todas as áreas da empresa, como recursos financeiros, físicos, tecnológicos e humanos.

Trabalhar na gestão não é tarefa fácil, e uma das maiores preocupações, é as dívidas, pois elas podem causar a perigosa e temida falência.

Contudo, infelizmente tem situações que chegam ao extremo e a falência é inevitável. Mas o empresário precisa tomar medidas para preservar sua gestão, e superar todas as crises.

Preparamos neste post algumas dicas que podem ajudar a lidar ou prevenir o risco de falência.

 

ENCONTRE O PROBLEMA

Pode parecer lógico mas nem sempre é fácil, o primeiro passo é reconhecer que os resultados não estão sustentáveis ao longo prazo. E tomar atitudes para mudar o cenário, requer toda sua atenção e trabalho. Não adianta terceirizar o problema por muito tempo, colocando a culpa em fatores externos e deixar para tomar medidas quando for tarde demais.

Porém, todo negócio com problemas da sinais de falência, como:

– Fazer empréstimos para despesas básicas como água, luz, aluguel etc.;
– Fechar o mês por diversas vezes no vermelho ou pouco positivo;
– Queda nas vendas mesmo quando é esperado um mês favorável;
– Apresentar dificuldades em pagar seus funcionários.

IDENTIFIQUE A PRINCIPAL CAUSA E EM QUAL MOMENTO DA GESTÃO APRESENTOU ERROS.

Analisar a situação da empresa como transações, relatórios e todos os registros disponíveis, é uma forma de entender os fatores que deram causa a crise. Observar sua DRE, fluxo de caixa, curva ABC, entre outras analises é muito importante e se isto que falei, você não tem conhecimento, é importante procurar ajuda, acompanhar a saúde do seu caixa é primordial. E também importante falar que dívidas demais aumentam o risco de insolvência, e são consequências de problemas de gestão e não da crise. Desta forma assim que localizado o motivo elimine-a.

Tenha muita cautela ao analisar a empresa para localizar o que conduziu a situação, as principais falhas na gestão normalmente estão, em compras e vendas, até mesmo a utilização de uma estratégia inadequada.

NÃO DE CONTINUIDADE SEM TER UM PLANO DE NEGÓCIOS

Com o Plano de Negócios é imprescindível para manter, o bom funcionamento da empresa, esse documento jamais deve ser subestimado, e de a ele sua real importância. Este documento trará benefícios como:

– Testar a viabilidade de uma ideia;
– Captar recursos financeiros se o caso;
– Informar com precisão sobre o status do negócio da empresa;
– Dar credibilidade à empresa;
– Conferir orientação estratégica aos gestores;
– Organizar informações sobre o negócio e suas estratégias.

O plano fornece estrutura e dados necessários para o negócio, trazendo informações sobre a situação do mercado, planos de marketing, orçamento necessário para funcionamento, possibilidade de lucros, enfim, diversos fatores relacionados à manutenção e sucesso. Nos momentos de crise, não é diferente: é preciso criar um plano de negócios para superar a situação. Assim é possível antecipar a outras crises ter uma ação preventiva com soluções previamente observadas.

 

NÃO DEIXE VIRAR “BOLA DE NEVE”

Implementação de soluções ou identificação de problemas, trará ao gestor, os problemas e soluções com máxima urgência. Isso solucionara o acúmulo de problemas sem deixar formar uma “Bola de neve”. A melhor forma de evitar o fenômeno, é fazer um diagnóstico precoce, pois quanto antes forem tomadas medidas para a solução, maior chance da empresa se recuperar e evitar outros problemas.

 

NÃO FAÇA GASTO DESNECESSÁRIO

Desde o início da empresa se faz necessário ficar atentos a gastos desnecessários, nos momentos de crise, esse cuidado é fundamental. Localizar os gastos mais elevados e desnecessários, como mão de obra ociosa, gastos indiretos de fabricação, despesas gerais, até mesmo faturas altas de telefone, gastos em viagens de trabalho, conta de luz etc. Porém, na hora de fazer cortes, o gestor deve ter atenção para não prejudicar o funcionamento da companhia.

 

DE FORMA PLANEJADA RESOLVA AS DÍVIDAS MAIS EXPRESSIVAS

Para seu negócio ganhar folego e recuperar a saúde financeira, a gestão de dívidas é a medida mais eficaz a ser tomada. Primeiramente, você fará um levantamento das principais dívidas, não são aquelas mais volumosas, são aquelas que ameaçam seu negócio, normalmente são contratos com as maiores taxas de juros e com as penalidades mais perigosas. Afinal, é a forma que o credor tem de possuir garantias que o saldo devedor será quitado. Depois disso, ataque dívidas com juros altos, como cartões de crédito ou até cheque especial.

Durante o processo de gestão de dívidas, negocie as mais simples. Por exemplo água, luz e telefone, geralmente as operadoras ou concessionárias permitem o parcelamento de dívidas. A mesma forma para tributos atrasados, o Governo também oferece muitas condições especiais para o pagamento de impostos atrasados.

 

RENEGOCIE COM SEUS FORNECEDORES

Acumular dívida é o mais comum de acontecer. Na hora do aperto, é importante buscar os credores para renegociar as dívidas. Essa atitude demonstrará o interesse da empresa em pagar, facilitando uma abertura para negociação, podendo ser um fator fundamental na manutenção de crédito.

Este momento conseguir melhores prazos e taxas, facilita o cumprimento das obrigações. Você como gestor precisa tomar cuidado especial, para não esgotar o seu cadastro e, especialmente não comprometer os bens pessoais e da família.

 

PEDIR AJUDA NUNCA É DEMAIS

Você já percebeu, que tudo isso é muito difícil de fazer sozinho, pedir ajuda a um profissional agiliza o processo. Ele terá uma visão especializada do que pode ser melhorado e trazer mais eficiência operacional. Além de sugerir corte de gastos e a reformulação de processos, ele ainda fornecerá várias medidas para aumentar as vendas e atrair novos clientes.

 

ESTABELECER CONDIÇÕES REAIS PARA PAGAMENTO DE DÍVIDAS

Nova contratação ou não, ao renegociar, estabeleça condições reais de pagamento. Renegociar além da capacidade de pagamento não resolverá o problema.

Às vezes, os descontos ofertados em determinadas condições são bastante atrativos, contudo, de nada adiantam se no fim, a empresa não consegue cumprir com os pagamentos acordados. Para isso, um bom planejamento financeiro é fundamental para que o empresário tenha uma visão clara das possibilidades de pagamento.

No momento de crise estar inadimplente abala a confiança do credor, é fundamental o cumprimento dos prazos e pagamentos para não perder os benefícios obtidos e a credibilidade.



INOVAÇÃO É PRIMORDIAL

Novas ofertas são essenciais para atrair clientes constantemente. Mas para ter lucro rápido, muito empreendedor coloca a margem de lucro acima dos praticados pelos concorrentes. Esta estratégia não atraí cliente e não ajuda a crescer, o ideal é fazer um estudo de mercado e trazer o seu preço para a realidade, e com a estratégia agressiva de vendas garantir a lucratividade, e a cobertura dos custos operacionais e uma reserva para contornar os riscos do negócio.

 

CHEGUE A UMA MEDIAÇÃO

Quando a dívida estiver em caso de processo judicial, não deixe de entrar em contato com o credor, ou representante legal, fazer um acordo para negociar condições de adimplemento de dívida.

Muitas vezes, procrastinar a dívida e deixar virar processo judicial é muito danoso ao caixa, além dos custos processuais, caso uma eventual condenação, a empresa inadimplente paga até os custos processuais da parte. Elevando ainda mais o valor da dívida.

 

EM ÚLTIMO CASO ANALISE A POSSIBILIDADE DE ENTRAR COM PROCESSO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Contudo, é preciso saber quando buscar essa solução. O momento ideal é quando a empresa vislumbra a crise, percebendo que se encontra em um momento de baixa perspectiva, mas antes do esgotamento de seu cadastro perante os credores e, principalmente, antes que os credores precipitem o problema e, até mesmo, utilizem o pedido de falência para buscar o recebimento de seus créditos.

Com esse instituto, as empresas podem se reorganizar e recuperar o negócio, por meio de uma reestruturação de suas dívidas, perante os credores, para que seja viabilizada a recuperação da crise e o adimplemento de suas obrigações.

 

CONTE COM FERRAMENTAS DE CONFIANÇA

Nestes momentos serviços ou ferramentas de credibilidade que se provaram em longo prazo, é válido para sua organização, planejamento e controle. Devemos sempre tomar cuidado para que o barato não fique mais caro. Muitos gestores ao realizar cortes, esquecem que ferramentas que funcionam e trazem otimização de processos, nem sempre estão a quem da demanda. Neste momento conte com profissionais que fazem a diferença no dia-a-dia. Prestam um serviço de qualidade e suporte, pois lembre-se, ficar sem resolver um problema só tende acumular e ficar cada vez mais difícil de resolver.

 


Shopping Basket